Projetos em Curso

Cofinanciado por:
Acrónimo | Peixes Anádromos
Designação do projecto | Plano Operacional de Monitorização e Gestão de Peixes Anádromos em Portugal
Código do projecto | MAR-01.03.02-FEAMP-0002
Objetivo principal | Reforçar a Investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação

Região de intervenção | Alentejo

Entidade beneficiária | , Universidade de Évora(parceiro)

Data de aprovação | 29-09-2017
Data de inicio | 01-03-2018
Data de conclusão | 28-02-2021

Custo total elegível | 491737.97 €
Apoio financeiro da União Europeia | FEAMP - 491737.97 €
Apoio financeiro público nacional/regional |

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos


O principal objetivo do AN@DROMOS.PT passa pela implementação, em Portugal, de um programa de monitorização e gestão da pesca dirigida aos peixes anádromos (lampreia-marinha, sável, savelha, truta-marisca e salmão do Atlântico), de modo a restabelecer e manter uma exploração sustentável das populações. Paralelamente, pretende-se: (i) implementar uma metodologia eficiente de recolha de dados nos principais locais de captura destas espécies, assente na informação obtida junto dos pescadores, e ulterior validação com registos recolhidos de forma independente das declarações oficiais de desembarques, assegurando a obtenção de informação fidedigna e utilizável na gestão da exploração destas espécies; e (ii) promover a transferência bidirecional de conhecimentos entre a comunidade científica e os pescadores, como forma de implementar um código de conduta de boas práticas que salvaguarde o recurso haliêutico e, simultaneamente, incentive os pescadores profissionais a participar ativamente na definição das normas que regulamentam esta atividade e garantem a sustentabilidade do recurso. Para atingir estes objetivos, o projeto foi estruturado em 4 ações principais: Ação 1. Criação de uma rede entre as partes interessadas na exploração e gestão dos peixes anádromos; Ação 2. Recolha e gestão de dados referentes às capturas e evolução da abundância de peixes anádromos em Portugal; Ação 3. Desenvolvimento de um projeto-piloto na bacia hidrográfica do rio Mondego e Ação 4. Divulgação de resultados e transferência de conhecimentos entre a comunidade científica, os pescadores e o público em geral. Com a implementação da Ação 1 será criada uma rede entre cientistas, administração que gere estes recursos (i.e., ICNF e DGRM) e pescadores e suas associações que dirigem a sua atividade para a captura de espécies anádromas na zona costeira e águas de transição, incluindo os troços inferiores das principais bacias hidrográficas portuguesas. Através da Ação 2 será desenvolvida e implementada uma metodologia de recolha de informação independente dos dados oficiais de captura das espécies-alvo desta operação. A Ação 3 foi estruturada de forma a validar a metodologia de recolha de informação que será implementada no âmbito da Ação 2, mas para um sistema em particular, o rio Mondego, utilizando para isso os sistemas de monitorização das migrações piscícolas já instalados neste sistema. Paralelamente, será ensaiado um método de certificação regional com o objetivo de valorizar os produtos locais capturados segundo os métodos tradicionais de pesca. Com a ação 4 será promovida a transferência de conhecimentos entre a comunidade científica e os pescadores através de seminários dirigidos à comunidade piscatória e a criação de produtos que divulguem esta iniciativa ao público em geral.