Assinado acordo com Guangxi

Foi assinado hoje, dia 22 de janeiro de 2019, um acordo de cooperação entre a Universidade de Évora (UÉ) e a Universidade de Guangxi, que prevê a criação do Instituto Confúcio na Universidade de Évora.

A sessão decorreu no Colégio do Espírito Santo, contando com a presença de Soumodip Sarkar, Vice-Reitor para a Inovação, Cooperação e Empreendedorismo, Cesaltina Pires, Vice-Reitora para a Educação e Qualidade, e a delegação chinesa da Universidade de Guangxi, representada pelo Vice-presidente, Fan Zuojun, que recordou a “longa tradição e ligação histórica” entre Portugal e a China.

Soumodip Sarkar realça o valor dado pela atual Reitoria da Universidade de Évora aos países do Leste Asiático, nomeadamente a China. Começa por recordar que “a Universidade de Évora é líder ibérico da Belt and Road Iniciative, cujo memorando foi assinado, em Novembro, em Macau, na presença de diversas entidades portuguesas, brasileiras e espanholas”. Reforça ainda que “a China representa uma grande oportunidade para os nossos investigadores e estudantes” e enfatiza o enorme esforço de aproximação com entidades chinesas, que a universidade tem feito ao longo dos últimos anos, referindo que, “nos últimos tempos, a UÉ tem não só recebido várias delegações chinesas, como também se deslocou a diversas partes da China”.

Relativamente ao acordo celebrado, Sarkar refere que “foi com muito agrado que recebemos a Universidade de Guangxi, uma das melhores universidades da China” e destaca os objetivos primordiais: “ampliar a nossa ligação com a Universidade de Guangxi e explorar as diferentes formas de colaboração e cooperação, nomeadamente intercâmbios de alunos” e, o principal propósito, “a assinatura de um protocolo para a criação de um centro, Centro Confúcio”, tal como já indicado. Por último, não deixou de manifestar a satisfação sentida com o destaque dado pelo Embaixador da China à Universidade de Évora, relativamente ao seu importante papel na relação com as universidades chinesas.

O Instituto Confúcio tem como missão principal o ensino da língua e da cultura chinesa. Fan Zuojun recordou ainda que este Instituto possibilita a realização do Exame Oficial de Nível da Língua Chinesa, apresentando critérios uniformizados ao nível mundial. O acordo agora firmado estabelece, ainda, a possibilidade de cooperação bilateral a vários níveis, nomeadamente, através do intercâmbio de estudantes, da realização de seminários, workshops e programas culturais, entre outras atividades ao nível da investigação.

Publicado em 22.01.2019
Fonte: GabCom | UÉ