Biodiversidade e os avanços da ciência

Uma equipa de investigadores, liderada por Miguel Araújo, desenvolveu a primeira norma de boas práticas com o objetivo de melhorar o desenvolvimento de modelos preditivos de distribuição das espécies usadas em avaliações do estado da biodiversidade.

Recorrendo a 400 estudos efetuados nos últimos 20 anos, o investigador da Universidade de Évora, Prémio Pessoa 2018, explica que os "modelos ecológicos são cada vez mais necessários”, devido sobretudo, “às rápidas mudanças que estão a ocorrer no planeta”. Essas ferramentas permitem, tal como explica “prever, por exemplo, como a distribuição de uma espécie será numa área específica, levando em conta as mudanças no clima ".

Publicado em 17.01.2019
Fonte: GabCom | UÉ