Foto: Wikimedia Commons
Arqueólogos da Univeridade investigam a mais significativa anta-capela de Portugal

Uma equipa de arqueólogos da Universidade de Évora, dirigida por Leonor Rocha, vai estar em trabalhos arqueológicos na mais significativa anta-capela de Portugal, localizada em Pavia.

Aquele monumento funerário pré-histórico, com mais de 5000 anos de idade, foi adaptado a templo católico durante a Idade-Média. Tudo aponta para que durante o domínio árabe também ali tivesse funcionado um espaço de oração. A anta-capela de Pavia, classificado como Monumento Nacional, é agora objeto de investigação arqueológica para identificação da primitiva entrada e respetivo corredor de acesso. Procuram-se, igualmente, elementos que possibilitem uma datação absoluta do monumento e que se possa estabelecer com precisão as diferentes funcionalidades que teve até ao presente. 

Recorde-se que a Anta-Capela de Pavia foi o primeiro monumento megalítico referenciado na bibliografia histórica. Manuel Severim de Faria (séc.XVI), na sua obra “Notícias de Portugal”, já mencionava a anta-capela de S. Dinis ou S. Dionísio, como também é conhecida, e que se localiza no centro histórico da vila alentejana de Pavia.

M.L.S. | UELINE

Publicado em 19.08.2013