ECOLIVES - Gestão sustentável em olivais mediterrânicos

Pretende-se estimar o valor do controlo biológico natural em função do tipo de gestão de pragas aplicado sobre duas das principais pragas da azeitona - a mosca-da-azeitona e a traça-da-azeitona.

Atualmente um dos maiores desafios subjacente à viabilidade dos ecossistemas agrícolas a nível mundial é a promoção de sistemas de controlo de pragas que sejam economicamente lucrativos. As pragas agrícolas, e o decorrente uso de agroquímicos, estão entre as principais causas de prejuízo económico, correntemente estimados em milhares de milhões de dólares por ano. Recentemente, vários estudos apontam que a utilização de meios naturais de combate às pragas (conhecidos como serviços de controlo biológico - SCB) possa constituir uma forma eficaz, ecológica e lucrativa de reduzir os prejuízos na produção agrícola e a utilização de agroquímicos. Contudo, a aplicabilidade e investimento neste tipo de estratégias estão ainda muito condicionados pela falta de conhecimento da ecologia e dos processos que permitam a gestão dos SCB a longo-prazo. Impõe-se que sejam desenvolvidos esforços que visem testar a viabilidade dos SCB enquanto alternativa para uma produção agrícola mais sustentável. Neste sentido, várias questões surgem: que fatores ambientais e a que escala afetam os padrões de biodiversidade e os serviços prestados pelos SCB? Qual o valor e viabilidade económica dos seus serviços? Qual o enquadramento dos SCB perante os impactos decorrentes da intensificação agrícola? E finalmente, que impactos terão as políticas agrícolas e as alterações globais na exequibilidade dos SCB? Este projeto propõe-se a responder a estas questões, contribuindo concretamente para o desenvolvimento de políticas agrícolas que estabeleçam como prioridade a sustentabilidade na exploração dos recursos naturais.

Mais informação aqui

Publicado em 14.12.2017